Equipamentos de Proteção Individual no campo, são necessários?

Equipamentos de Proteção (EPI) no campo, são necessários?

Antes de responder à pergunta, é preciso considerar que o trabalho no campo, além de exigir dedicação intensa e esforço físico, acaba elevando o risco de aparecimento de doenças ocupacionais, além de expor o trabalhador a agentes físicos, químicos e biológicos, capazes de causar acidentes de trabalho.

Animais peçonhentos, agentes parasitários, exposição a radiações solares e outras intempéries por longos períodos, ruídos e vibração de tratores ou outras máquinas agrícolas, partículas de grãos armazenados, poeira, pólen, ácaros, dejetos, células de fungos e bactérias são exemplos de potenciais riscos no ambiente de trabalho rural.

Muitos desses riscos não podem ser completamente eliminados do ambiente de trabalho, afinal a atividade – muitas vezes – está diretamente relacionada ao agente gerador do risco, por exemplo, o ruído e a poeira nas atividades de safra.

EPIs ajudam a proteger a saúde do trabalhador

Equipamentos de Proteção (EPI)

É possível, todavia, minimizar o impacto dos referidos agentes, com o uso de equipamentos de proteção individual (EPI), tais como:

  • calças;
  • jaleco;
  • botas;
  • avental;
  • respirador;
  • viseira facial;
  •  boné/chapéu;
  •  luvas.

 

O uso de EPI garante a integridade física e a saúde do trabalhador em suas tarefas diárias, e devem ser obrigatoriamente fornecidos pelo empregador.

Cada atividade demanda um tipo de equipamento específico e a sua utilização deve ser fiscalizada pelo empregador. Por isso, é fundamental que treinamentos sejam ministrados aos empregados, garantindo-se a proteção da saúde destes. Esta atitude evita ainda problemas trabalhistas.

Por Bruna Buti

 

Veja também:

WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe está preparada para responder todas as suas dúvidas
👋 Olá, como podemos te ajudar?

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre seu email abaixo e receba tudo em primeira mão